O Brasil é o quarto país no ranking de população de animais de estimação no mundo, com 132,4 milhões de pets. Dados da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação) indicam que, em 2018, a previsão é alcançar R$ 21,77 bilhões. Cerca de 70% desse total referem-se a produtos para nutrição animal, que em sua composição levam milho, soja, arroz, trigo e carnes de aves, bovinos e peixes. Com esse faturamento e investimentos, o Brasil está em terceiro lugar no ranking mundial da área pet.

Em Ponta Grossa, o setor de alvarás da Prefeitura tem registro de mais de 200 locais que atendem animais, como agropecuárias, pets shops e clínicas veterinárias. Uma das últimas lojas instaladas na cidade é a Cobasi, pioneira no conceito de shopping para animais e uma das maiores varejistas pet do país.

A gerente de marketing da Cobasi, Daniela Bochi, explica que o mundo pet tem muito espaço ainda para crescer em regiões menores do país. “As lojas do segmento estão saindo dos centros e indo para as cidades de médio e pequeno porte. Esses locais também têm uma demanda grande para consumir produtos e serviços que contemplem os animais”, conta.

O mercado pet consegue oferecer mais de 20 mil itens que incluem alimentos, acessórios, brinquedos e farmácia para vários tipos de animais. Nas megalojas, o espaço é dividido por setores, como Safári (com hamsters, coelhos, chinchilas, porquinhos da índia e aves diversas), além do aquarismo, cães, gatos, filhotes e variedades de flores e plantas. Além disso, alguns locais também oferecem atendimento veterinário e promovem feiras de adoção de animais.

Outro dado que chama atenção, é que o mercado pet não teve perdas com a crise econômica do país e se manteve um dos líderes de investimentos e venda. Bochi ressalta que as pessoas mantiveram as compras para seus animais de estimação, mesmo que adaptando os produtos. “Os donos de pets compram muitos produtos pelo emocional, como brinquedos e outros artigos. E alguns itens que não podem faltar como a ração, os donos acabaram às vezes adquirindo o alimento um pouco mais barato, mas nunca deixavam de comprar”, comenta. Com isso, o setor foi um dos poucos que não foi atingido com baixas de emprego e rentabilidade.

Dados

O mercado pet é composto por indústrias e integrantes da cadeia de distribuição dos segmentos de alimentos (Pet Food), serviços (Pet Serv), medicamentos veterinários (Pet Vet) e cuidados com saúde e higiene do pet (Pet Care). Hoje, o mercado pet já representa 0,31% do PIB brasileiro, à frente dos setores de utilidades domésticas e automação industrial, segundo dados da Abinpet. No mundo todo, o maior mercado ainda é dos Estados Unidos, com 41% dos US$ 119,5 bilhões totais. Na sequência está o Reino Unido (5,3%) e o Brasil (5,1%), completando assim os três maiores mercados Pet mundiais.

Fonte: Diário dos Campos